Durante anos, em pleno monumento das Portas de Rodão, ocorreu uma extensiva exploração mineira aurífera, levada a efeito pelo poder de Roma, onde se consta, terem estado perto de três mil escravos envolvidos no processo da garimpagem de oiro.
É nestas paragens do vale do rio Tejo, que mais tarde se descobre que o verdadeiro oiro desta região, se encontra nas centenárias oliveiras, em forma de azeite, extraído a partir das variedades autóctones da Beira Baixa: 90% Galega, em harmonia com Cobrançosa e Cordovil.


Prove o nosso “oiro líquido”, em estado puro.

geral@conserveiradointerior.pt

Azeite_Garimpeiro__
Azeite_Garimpeiro
Azeite_Garimpeiro_