"DUETO DE RIOS À MESA"

EVENTOS À MESA, TABLE.

By Patrícia Serrado - MUTANTE

Tejo e Douro” é o nome da iniciativa que juntou Rodrigo Castelo, da Taberna Ó Balcão, em Santarém, e José Pinto, do Conceitus Winery Restaurant, da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, em Covas do Douro, no sentido de fundamentar quão importante são as tradições regionais de cada cozinha, com enfoque no peixe de rio, sem deixar de parte o toque de contemporaneidade, que tão bem faz à gastronomia nacional, neste caso acompanhada pelos vinhos da Quinta Nova.

Em jeito de boas-vindas, é servido o Clã Moscatel Douro, da Quinta Nova, que acompanha a visita ao hotel vínico, outrora uma casa de família erigida no coração da mais antiga região vitivinícola demarcada do mundo que, na época, era navegada por barcos rabelos que transportavam, rio acima, rio abaixo, os vinhos do Porto e da região até aos armazéns, em Vila Nova de Gaia.

O Douro e o Tejo apresentaram-se no Conceitus Winery Restaurant pelas mãos de dois chefs portugueses, para uma amistosa competição em torno da gastronomia de raíz na companhia de um bom legado de Baco.

O ceviche abriu as hostes do repasto

A pêra bêbada aromatizada com crocante de citrino

O lúcio, o puré de ervilhas e os legumes grelhados

Já o Quinta Nova Reserva tinto 2012, composto por Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Franca e Touriga Nacional, casou bem com o saboroso lúcio cozinhado a baixa temperatura em manteiga de azeite, acompanhado por um puré de ervilha e legumes grelhados, um prato que conquistou o palato à primeira.

Na passagem para a sobremesa, e com a finalidade de limpar o palato dos presentes, foi servida uma tisana de folha de videira Quinta Nova.

À pêra bêbeda com crocante de citrino, um mix de sabores agridoce combinou-se, e bem, o Quinta Nova Porto Vintage 2005 cujas honras de abertura couberam ao chef escalabitano Rodrigo Castelo que, com mestria, e depois de colocar água fria na incisão feita com o auxílio de um ferro quente, cortou o gargalo da garrafa, como manda a tradição em dias de festa.

À mesa, o monocasta Pomares Gouveio branco 2014 abre as hostes de um repasto protagonizado pelo ceviche de fataça e lúcio, ambos peixes do rio Tejo, uma boa combinação de sabores para um dia em que o sol não dá tréguas.

A sopa de peixe

Sobre o chef anfitrião, José Pinto, de 37 anos, conta com os restaurantes Vintage House, Douro In, Caisdavilla, Aquapura Douro Valley e Quinta da Romaneira no currículo. Por sua vez, Rodrigo Castelo, de 35 anos, natural de Santarém, e que, desde cedo, desenvolveu o gosto pela cozinha, influenciado pelo pai. Após a chegado ao fim de uma etapa profissional na indústria farmacêutica, decidiu inverter o rumo da sua carreira, concretizando um sonho antigo, inverteu o seu percurso profissional, inaugurando, em outubro de 2013, o Taberna Ó Balcão, na terra natal, com um repertório de inspiração tradicional e regional, além do Peixe Ó Balcão integrado na zona de restauração do recém renovado Mercado de Algés e da presença marcada no restaurante Terraço, do hotel Tivoli Lisboa, no âmbito do projecto “Portugal de Norte a Sul”.

O repasto a quatro mãos protagonizado por José Pinto e Rodrigo Castelo repetir-se-á em outubro, no Taberna Ó Balcão, em Santarém, onde o chef do Conceitus Winery Restaurant dará a conhecer o peixe do rio Douro aos amantes da boa mesa.

Bom apetite!

Seguiu-se a refrescante e tão apetecida sopa de peixe com ovas de barbo aromatizadas com azeite Quinta Nova e beterraba harmonizada com Graínha Reserva branco 2013, feito a partir das castas Gouveio, Viosinho e Rabigato.